Emenda ao orçamento 2018


EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO BERNARDO AMARAL DO AMARAL.

Eu, Marcos Quintanilha Mangin, sócio proprietário e membro do conselho de Administração, com fundamento no Artigo 140 do estatuto e Artigo 30, II do Regimento Interno deste Conselho, venho, através desse documento, expor e justificar ao plenário uma proposição de emenda à proposta orçamentária do ano 2018, conforme descrito abaixo:

Em virtude da separação das rubricas de Bilheteria/Estádio e do Programa Nação Rubro-Negra que vem sendo proposta no orçamento 2018, assim como ocorreu nos anos anteriores, tenho visto um conflito de objetivos que tem ocasionado problemas graves de baixa ocupação do estádio em jogos de mando do Clube de Regatas do Flamengo, principalmente no estádio da Ilha. Por isso faço a proposta de realocação dos recursos abaixo a fim de não sacrificar o orçamento apresentado pelo Conselho Diretor, porém dando maior flexibilidade no trabalho em conjunto das áreas responsáveis por estádio e pelo nosso programa de Sócio Torcedor, visando principalmente a maximização da ocupação dos estádios durante os jogos com o mando do CRF, e consequentemente garantindo as receitas totais estimadas.

PROPOSTA DO CONSELHO DIRETOR:

Receitas Brutas
Bilheteria/Estádio – R$ 48.820.000
Programa Nação Rubro Negra – R$ 47.039.000

Despesas Operacionais
Bilheteria/Estádio – R$ 38.084.000
Programa Nação Rubro Negra – R$ 12.485.000

Total – R$ 45.290.000


PROPOSTA DE AJUSTE:

Receita Bruta
Bilheteria/Estádio/ Programa Nação Rubro Negra – R$ 95.859.000

Despesa Operacional
Bilheteria/Estádio/ Programa Nação Rubro Negra – R$ 50.569.000

Total – R$ 45.290.000

Saliento que os valores das receitas e despesas totais da proposta orçamentária de 2018 não serão alterados. A proposta que está sendo feita prevê uma consolidação/sumarização das rubricas de Bilheteria/Estádio e do Programa Nação Rubro-Negra.
Entendo e acredito que o clube é capaz de manter as receitas e despesas totais estimadas para as duas rubricas, porém a partir da aprovação dessa emenda numa visão unificada, evitando conflitos entre as possíveis metas estabelecidas na visão da proposta original do conselho diretor, que podem acarretar em problemas financeiros diretos e indiretos por conta da baixa ocupação em nossos jogos como podemos observar ao longo do ano de 2017, principalmente no estádio da Ilha, além de prejuízos intangíveis por conta do distanciamento de nossa torcida com o nosso time dentro de campo.
Diante do acima exposto, acredito que se faz necessário o ajuste proposto, pedindo desde já que o mesmo seja parte integrante da proposta orçamentária a ser encaminhada ao plenário para votação.

Por fim, peço a aprovação do Orçamento de 2018 juntamente com o ajuste proposto.
Rio de Janeiro, 05 de dezembro de 2017.

Marcos Quintanilha Mangin
Matrícula 14072